Otimismo industrial sobe

O Índice de Confiança da Indústria (ICI), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), subiu 2,4 pontos em abril, para 97,4 pontos, a primeira alta após oito quedas consecutivas. Na métrica de médias móveis trimestrais o índice ainda manteve a tendência de queda, ao recuar 0,3 ponto no mês.
No mês, houve alta de 11 dos 19 segmentos monitorados pela Sondagem. O Índice Situação Atual (ISA) avançou 1,4 ponto, para 98,4 pontos. O Índice de Expectativas (IE) subiu 3,2 pontos para 96,0 pontos. Ambos os índices voltam a subir após recuarem por oito meses.
De acordo com a pesquisa, entre os quesitos que integram o ISA, o melhor desempenho ocorreu no indicador que mede a percepção dos empresários em relação à situação atual dos negócios, com alta de 6,8 pontos, para 98,6 pontos.
No sentido oposto, o indicador de nível dos estoques recuou 8,4 pontos, para 96,1 pontos. Quando este indicador está abaixo de 100 pontos, sinaliza que a indústria está operando com estoques excessivos (ou acima do desejável). O indicador de demanda total elevou-se em 5,8 pontos para 100,3 pontos, voltando a subir após perder 17,4 pontos nos nove meses anteriores.
Dos indicadores que integram o IE, a produção prevista para os três meses seguintes foi o que mais influenciou na alta do ICI em abril, ao subir 4,8 pontos, para 95,1 pontos. Já o indicador de tendência dos negócios para os seis meses seguintes recuperou 4,2 pontos dos 16,8 perdidos nos oito meses anteriores, fechando o mês em 92,8 pontos.
O Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria, por sua vez, recuou 0,4 ponto percentual em março, para 79,8%.

Fonte: Revista Anamaco